O Malabarismo nas Ruas como Alternativa Econômica aos Jovens Excluídos do Mercado Formal de Trabalho

  • Juliano Batista dos Santos IFMT Campus Cuiabá.

Resumo

A informalidade nasce não apenas como recurso à falta de emprego, mas também como maneira de complementar rendas insuficientes ao custeio daquilo que é o mais básico no ser humano: a alimentação. Segundo o IBGE o salário médio do trabalhador brasileiro com carteira assinada no ano de 2014 foi de, aproximadamente, R$ 2.104,16 mensais, valor que, apesar de se aproximar da remuneração ideal calculada pelo DIEESE, ainda apresenta um déficit de 29,08%. Fora dessas estatísticas estão os trabalhadores informais. Alguns deles com e outros sem o desejo de ingressar na formalidade. Entre os que não desejam regularizar os seus ofícios junto aos órgãos públicos estão os artistas circenses das/nas ruas de Cuiabá que não apenas escapam da precariedade provocada pelas baixíssimas remunerações, como igualmente se realizam pessoalmente por utilizarem da arte que escolheram como meio de sobrevivência e opção de vida.
Publicado
Jan 17, 2017
Como Citar
DOS SANTOS, Juliano Batista. O Malabarismo nas Ruas como Alternativa Econômica aos Jovens Excluídos do Mercado Formal de Trabalho. Profiscientia, [S.l.], n. 10, jan. 2017. ISSN 1806-0285. Disponível em: <http://www.profiscientia.ifmt.edu.br/profiscientia/index.php/profiscientia/article/view/116>. Acesso em: 24 abr. 2017.
Seção
Artigos